Reviravolta – Capítulo 30 Final

Este vídeo requer o Adobe Flash para reprodução.

Capítulo 30

No aeroporto.

Ricardo vê Selina.

Ricardo: O que está acontecendo?

Selina: Odete está naquela sala!

Ricardo: Quem chamou a segurança?

Selina: Eu chamei logo que ela entrou na sala!

Ricardo: Você viu a Susana?

Selina: Então, ela está lá dentro!

Ricardo: Mas como?

Selina: Você sabe como ela é! Eu disse pra não entrar que a segurança estava vindo, mas ela insistiu em entrar!

Ricardo: Você já avisou à segurança?

Selina: Sim, eles estão negociando.

Ricardo: Como negociando?

Selina: A polícia já está chegando!

Ricardo: Por que a polícia?

Selina: Ela fez a Susana de refém!

Ricardo: Não é possível! Eu vou lá!

Selina: Não vai!

Ricardo: Mas..mas…

Selina: Eu já fiz a besteira de deixar a Susana entrar! Não vou cometer esse erro com você.

Ricardo: O que vamos fazer?

Selina: Vamos esperar!

Na Sala.

Odete: Você é muito idiota!

Susana: Você não vai se safar!

Odete: Veio me impedir? Você vai me ajudar a sair!
Susana: Você não vai conseguir sair daqui a polícia já deve estar vindo!
Odete: Se eu não conseguir, sair daqui você também não vai!

Policial chega e grita de fora.

Policial: Saiam da sala com as mãos pra cima!

Odete: Eu quero negociar.

Policial: O que você quer?

Odete: Quero um veículo e a minha saída liberada!

Policial: Não podemos atender esses termos!

Odete: Então ela morre!

De fora da sala.

Ricardo: O que vão fazer?

Policial: Vamos invadir!

Ricardo: Não, e minha irmã!

Policial: Não podemos deixar que ela fuja com sua irmã! Agora vamos negociar com ela como se fossemos aceitar o acordo e invadimos de supetão!

Ricardo: Vou deixar vocês trabalharem!

Policial: Como você tem ligação com a vítima, queremos que você vá distrair a seqüestradora com a negociação!

Ricardo: Agora?

Policial: Converse com o nosso setor de inteligência, eles vão te passar as instruções.

Hora da negociação.

Ricardo: Odete!

Odete: Você vai negociar? Eles deveriam ter escolhido alguém mais esperto!
Ricardo: O que você quer?

Odete: Eu quero sair daqui com segurança!

Ricardo: Como?

Odete: Você acha mesmo que está me enganando?

Ricardo: Do que está falando?

Odete: Da polícia preparando pra invadir!

Ricardo: Não está acontecendo nada disso! È somente uma negociação!

Odete: Pois então saibam que sua irmã está bem na minha frente, e eu estou com a arma apontada para a cabeça dela! Confirme vadia!

Susana: É verdade!

Odete: Vai correr esse risco?

Ricardo: Abortem a invasão!

Odete: Como é bom estar certa!

Ricardo: Você se acha tão inteligente! Só que não é!

Odete: Do que está falando?

Ricardo: Que você não vai conseguir sair daqui! E quanto mais tempo você ficar aqui, mais tempo de cadeia você terá!

Odete: Eu vou conseguir fugir!

Ricardo: Como? Você está cercada! Como você vai fazer?

Odete: Vocês vão me deixar ir, e eu vou fazer como o Maurício, mudar de nome e começar vida nova!

Ricardo: Pense você vai mofar na cadeia de qualquer jeito!

Odete: Eu não vou para a cadeia! Eu não vou!

Ricardo: Libere a Susana, é melhor que você pode fazer!

Odete: Se eu vou ser presa de qualquer forma eu vou acabar com isso!

Ricardo: Do que você está falando?

Som de tiro.

Ricardo: Susanaaaa!

A polícia invade.

Susana sai.

Susana: Acabou! Acabou! Ela disse que não iria ser presa!
Ricardo: E não foi!

Susana: Ela apontou a arma pra própria cabeça e …

Ricardo: Pare, esqueça! Acabou!

Por Rubem VS

@rubem_vs

Carta do Autor.

Gostaria de agradecer à todos vocês que acompanharam Reviravolta, ao PA e toda a sua equipe. É com grande felicidade que finalizo mais essa fase, com a ajuda de vocês.  Desejo tudo de bom à vocês; e fica um adeus.

E o mundo continua a girar e a vida a tramar suas reviravoltas.

Reviravolta – Capítulo 29

Este vídeo requer o Adobe Flash para reprodução.

Capítulo 29

Após o julgamento.

Susana: Ricardo!

Ricardo: O que foi?

Susana: Pegue o carro!

Ricardo: Por quê?

Susana: Ela está fugindo!

Ricardo: Quem?

Susana: A Odete! Ela pegou todo o dinheiro e está fugindo!
Ricardo: Vamos chamar a mamãe?

Susana: Não! Vamos deixar ela fora disso!

Ricardo: Vamos pra onde?

Susana: Aeroporto!

Ricardo e Susana pegam o carro e vão para o aeroporto. Os dois saem e resolvem se separar para procurar Odete.  Susana encontra com Selina.

Susana: Onde ela está?

Selina: Fique tranqüila eu já acionei a segurança!

Susana: Onde ela está!
Selina: Naquela sala!

Susana: Eu vou lá!

Selina: Não! Você não vai ficar sozinha com aquela maníaca nessa sala!

Susana: Eu tenho que ir!

Selina: Não tem não! Eu já chamei a segurança!

Susana: Ela pode fugir!

Selina: Como? Nós estamos no terceiro andar!
Susana: Não sei, mas ela vai dar um jeito! Preciso evitar!

Selina: Eu não vou deixar você ir!

Susana: Não adianta nem tentar me impedir!
Susana entra na sala.

Odete: Olha quem chegou!

Susana: Sua casa caiu!

Odete: Você que pensa!

Susana: Você está presa aqui! Como vai fugir?

Odete: Eu tenho meu passe de saída!

Susana: Você tem um passe direto pra cadeia.

Odete: Por que minha querida? O que eu fiz?

Susana: Deixa de ser dissimulada!

Odete: Eu não fiz nada de mais! Eu tirei um peso morto do mundo, um assassino, um merda!

Susana: Olha como fala do meu pai!

Odete: Seu papaizinho de merda!

Susana: Você é uma assassina, uma ladra!

Odete: Ladra por quê? Até pouco tempo você teimava que eu era sua irmã. Eu só peguei o que é meu por direito!

Susana: Você não tem direito a nada! Somente a cadeia!
Odete: E assino é o teu pai! Ou peno menos era! Tão idiota, tão tolo, que dava até dó.

Susana: Do que você está falando?

Odete: O velho morreu acreditando que eu era filha dele. Eu lembro como se fosse ontem o momento que aquele velho bateu as botas.

Susana: Eu quero a verdade!

Odete: Quer a verdade?

Susana: Isso!

Odete: Então eu vou começar desde o inicio!

Susana: Comece!
Odete: Pouco antes da minha mãe adoecer e morrer, ele descobriu onde seu pai estava.  Depois que ela morreu eu conversei com a Carmem pra que ela falasse com o seu pai que eu queria falar com ele. Nós nos encontramos em segredo em um motel, então eu disse pra ele que eu era filha de Ivana e dele. Então comecei a chantageá-lo. Fiz ele me por dentro de casa, primeiro como empregada, depois como filha.

Susana: Como ele morreu?

Odete: Mantenha a calma querida! Desde comecei a trabalhar lá troquei o remédio. Comecei a me envolver com o Ricardo, e coração do velho falhou a primeira vez! Depois eu disse pra ele que se ele me desse um milhão eu ia embora. Ele fez o cheque.

Susana: Foi isso que você usou pra falsificar a assinatura?

Odete: Sim. Então em um outro dia eu disse pra ele que estava grávida do Ricardo e o velho empacotou! Depois…

Segurança: Esta área esta cercada! Saiam com as mãos pra cima!

Odete: Agora é só pegar meu passe e sair!

Susana: Que passe! Você está cercada?

Odete tira uma arma da mala e aponta pra Susana.

Odete: Você achou mesmo que eu não estaria prevenida?  Você é o meu passe! Você vai me tirar daqui sã e salva!

Por Rubem VS

@rubem_vs

Não perca amanhã o Ultimo capítulo de Reviravolta!

Reviravolta – Capítulo 28

Este vídeo requer o Adobe Flash para reprodução.

Capítulo 28

No julgamento.

Juiz: Vamos iniciar o julgamento, pela herança de Maurício Souler. O querelante pode começar a realizar o discurso de abertura.

Geraldo: Por meio deste vou provar que o testamento que deixa os bens de Maurício Souler para Odete Faria se reduz a uma prova inverídica.

Olavo: Os querelantes estão valendo-se de informações caluniosas como forma de denegrir a imagem da minha cliente.

Juiz: O querelante pode dar inicio aos tramites do julgamento.

Geraldo: Chamo para a deposição Odete Faria.

Odete entra para depor.

Geraldo: Você confirma que o senhor Souler era seu pai?

Odete: Em nenhum momento disse isso, Ele somente me considerava uma filha!

Geraldo: Você teve um relacionamento com Ricardo Souler?

Olavo: Protesto, os relacionamentos afetivos da minha cliente não são relativos para o caso!

Juiz: Aceito!
Geraldo: Se Maurício Souler é seu pai biológico você confirma que ele foi casado com sua mãe Ivana Faria?

Odete: Não!

Olavo: Protesto, as provas foram refutadas no ultimo tribunal.

Juiz: Aceito!

Geraldo: Peço a entrada da prova A.

A gravação feita por Susana é reproduzida.

Geraldo: Como podemos ver, na gravação Odete Faria assume que Maurício Souler seria casado com sua mãe Ivana Faria.

Olavo: Protesto! A gravação não tem autorização legal não podendo servir como prova legal.

Juiz: Negado! Doutor Geraldo pode prosseguir!

Geraldo: Na gravação Odete…

Olavo: Protesto! Não podemos obter certeza que , que essa gravação foi alterada, ou sequer se esta pessoa é mesmo Odete.

Juiz: Aceito!

Geraldo: Então chamo a testemunha dois.

Reinaldo entra para depor.

Geraldo: Qual é sua relação com Odete Faria.

Reinaldo: Sou, ou peno menos era um amigo pessoal de Odete.

Geraldo: Você confirma que o testamento que deixa os bens de Maurício Souler para Odete Faria é falso.

Reinaldo: Sim!
Olavo: Protesto!

Juiz: Negado!

Geraldo: Como foi realizada a Falsificação.

Reinaldo: Foi redigido um contrato, onde falsificamos a assinatura de Maurício Souler e registramos o contrato falso no meu cartório.

Geraldo: De onde foi tirada a assinatura de Maurício.

Reinaldo: De um cheque que Odete tinha em seu poder.

Juiz: Reinaldo Santos, sabe o peso de suas afirmações? Está se declarando cúmplice de um crime de falsificação!

Reinaldo: Sim!
Juiz: Você está sobre juramento, portanto configurando-se crime em caso de mentira.

Reinaldo: Sei o peso de minhas declarações e tenho provas de que o que digo é verdade.

Geraldo: Peço que entre as provas.

Juiz: Peço um recesso para que as provas sejam avaliadas pelo júri, retornamos dentro de trinta minutos com a sentença do julgamento.

Trinta minutos depois.

Juiz: Voltamos para ler a sentença.

Olavo: Peço que aguardem mais alguns minutos para o retorno da minha cliente.

Juiz: Vamos então prolongar esse intervalo em mais quinze minutos.

Durante o intervalo Ricardo e Susana conversam.

Susana: O que está acontecendo?

Ricardo: Não sei, até agora a Odete não chegou.

Susana: Ela deve estar aprontando alguma coisa!

Ricardo: Ela não pode fazer mais nada! Está nas mãos do júri!
Susana: Cadê a Selina?

Ricardo: Não sei? Vamos para o julgamento, o recesso acabou.

Retorno ao julgamento.

Juiz: Não podemos esperar mais! A sentença vai ser lida sem a presença da ré! O júri comprova como verídicas as provas fornecidas por Reinaldo Santos. Portanto classificando como falso o testamento no qual Maurício Souler deixa todos os seus bens para Odete Faria. Cabendo assim a Odete Faria a devolução de todos os bens a família de Maurício Souler e repondo todos os eventuais gastos realizados. Odete Faria, Olavo Secantes e Reinaldo Santos serão indiciados por falsificação!

Após o julgamento. O telefone de Susana toca,

Susana: Alô!

Selina: Sou eu Selina!

Susana: Ganhamos o julgamento!

Selina: É melhor você correr!

Susana: Pra que? Onde você está?

Selina: Eu vi a Odete saindo daí e segui-a!
Susana: E o que tem?

Selina: Ela saiu pegou um monte de dinheiro e está fugindo!

Susana: Fugindo? Quanto dinheiro?

Selina: Uma mala! Parece que ela está com tudo que seu pai deixou na mala!

Susana: Onde você está?

Selina: Parece que ela está indo para o aeroporto!

Susana: Estou indo pra aí agora!

Por Rubem VS

@rubem_vs

Não perca amanhã o penúltimo capítulo de Reviravolta!

Reviravolta – Capítulo 27

 

Este vídeo requer o Adobe Flash para reprodução.

Capítulo 27

No quarto de hospedes. Fazenda Serralândia.

Susana: Ainda estou pasma! Como a justiça é inútil!
Vilma: Mas por que essa gravação não tem valor?

Ricardo: Porque eles podem alegar que ela foi adulterada.

Susana: Mas não tem nenhum programa pra testar se foi adulterada ou não!

Ricardo: Eu acho que isso não existe.

Vilma: Então estamos perdidos!

Susana: A não ser que venha alguma prova do além.

Na sala.

O telefone toca.

Selina: Alô! Quem fala?

Telefone: Quero falar com a Susana!

Selina: Quem é?

Telefone: Chame a Susana!

Selina: Não vou chamar se você não disser quem é?

Telefone: Chame ela, é um assunto sobre o interesse dela!

Selina: Se for vender alguma coisa ela…

Telefone: É sobre a Odete…

Selina: SUSANA! Telefone!-Selina grita para Susana.

Susana chega à sala.

Susana: O que foi?

Selina: Telefone.

Susana: Quem é?

Selina: Não quis dizer. Mas disse que é sobre a Odete.

Susana atende o telefone.

Susana: Alô! Quem é?

Telefone: Eu estive olhando as ações e pude perceber uma alta no preço do…

Susana: Não quero comprar ações!

Telefone: Deixe-me terminar! Pude perceber uma alta no preço do silêncio.

Susana: Como preço do silencio?

Telefone: Então hoje mais cedo estive conversando com a Odete para ajustar o preço do meu silencio.

Susana: Não estou entendendo nada!

Telefone: Como não obtive o valor desejado! Estou pronto pra negociar!
Susana: Do que você está falando?

Telefone: Informações!
Susana: Sobre o que?

Telefone: Odete!

Susana: Vá direto ao assunto! Fale o que você quer.

Telefone: EU tenho provas de que a Odete falsificou o testamento do seu pai!
Susana: Que provas!

Telefone: Tenho o documento com a assinatura original.

Susana: Só isso?

Telefone: Tenho também uma testemunha e…

Susana: E mais o quê?

Telefone: E provas que o cartório falsificou a data do registro do documento.

Susana: O que você quer por isso?

Susana: Vamos negociar!

Susana: Quanto?

Telefone: Coisa pouca! Na ordem de 7 casas decimais!

Susana: Quanto a Odete te ofereceu?

Telefone: Um milhão!

Susana: Eu sei que ela não te deu isso tudo!Mas eu triplico!
Telefone: Eu preciso…

Susana: Não precisa de mais nada! Não vai ver com ninguém! Esse valor é pra aceitar agora ou não tem mais!
Telefone: Você não tem todo esse dinheiro!
Susana: Não tenho agora! Mas você sabe que eu conheço pessoas de grande poder e vou conseguir levantar isso bem rápido!

Telefone: Então está fechado!
Susana:
Que prova eu tenho que você vai me entregar isso?

Telefone: A mesma que eu tenho que você vai me pagar!
Susana: Como vamos realizar a troca!

Mansão Souler.

Jorge: Estou achando muito estranho!

Odete: O que?

Jorge: O Reinaldo!
Odete: Por quê?

Jorge: Ele queria receber mais dinheiro.

Odete: E o que tem de estranho nisso?

Jorge: Ele queria receber bem mais do que o combinado!

Odete: Era de se esperar! Quanto?

Jorge: Ele queria um milhão!
Odete: Quanto você deu!
Jorge: 400 mil e olhe lá!

Odete: Você não acha que ele pode nos denunciar?

Jorge: Não, se ele fizer isso pode ser preso por falsificação junto com nós!

Odete: Conosco!

Jorge: Mas é melhor nos precavermos!

Odete: É difícil ver o limite da idiotices dessas pessoas!

Por Rubem VS

@rubem_vs

Não perca amanhã o anti-penúltimo capítulo  de Reviravolta.

 

Reviravolta – Capítulo 26

Este vídeo requer o Adobe Flash para reprodução.

Capítulo 26

Fazenda Serralândia.

Susana: Consegui!
Ricardo: Conseguiu o quê?

Susana: Agora eu tenho as provas que eu precisava!

Ricardo: Provas pra que?

Susana: Provas contra a Odete!
Ricardo: Como? Você foi lá falar com ela?

Susana: Sim eu fui!

Ricardo: Mas eu disse pra você não ir.

Susana: Eu fui e consegui provas contra ela.

Ricardo: Que provas?

Susana: EU gravei toda a nossa conversa!

Ricardo: Como?

Susana: Eu levei meu celular e gravei tudo que ela disse.

Ricardo: E o que ela disse?

Susana: É melhor você mesmo ouvir!

Ricardo: Por quê?

Susana: Chame a mamãe vamos ouvir todos juntos?

Os três ouvem a gravação.

Vilma: Eu não acredito que ela fez isso!
Susana: Eu queria que vocês ouvissem porque eu mesmo não acreditaria sem ouvir.

Ricardo: Agora sim faz sentido!
Susana: O que faz sentido?

Ricardo: Logo que o papai morreu o medico me disse ele poderia ter tentado se matar.

Vilma: Como?

Susana: Por que você não nos contou isso?

Ricardo: O médico disse que ele havia parado de tomar os remédios para o coração.

Vilma: Aquela mulher um monstro!

Ricardo: Temos que ligar para o doutor Geraldo!

Susana: Essa gravação vai comprovar que as cartas são reais!
Ricardo: Vou ligar pra ele agora!

Ricardo pega o telefone e liga.

Ricardo: Alô! Doutor Geraldo!

Geraldo: Sim! Quem fala?

Ricardo: Ricardo Souler!

Geraldo: Pois não! O que deseja?

Ricardo: É sobre o julgamento!

Geraldo: Sim claro! Já estamos recorrendo da decisão judicial como vocês pediram, mas temo que não mais nada a ser feito sem novas provas!
Ricardo: Nós temos uma nova prova!

Geraldo: Mas como?

Ricardo: Susana foi à casa de Odete e gravou ela assumindo todos os crimes!

Geraldo: Isso é um problema!

Ricardo: Como um problema?

Geraldo: Essas gravações quase nunca são aceitas.

Ricardo: Como não são aceitas?

Geraldo: Legalmente pra possamos fazer uma gravação é necessária uma permissão judicial. E vocês gravaram sem autorização!

Ricardo: Mas ela assumiu os crimes!

Geraldo: Mas como eu disse não é uma gravação legal!
Ricardo: Quer dizer que ela não serve de nada?
Geraldo: Não é isso que eu estou dizendo!

Ricardo: Então o que é?

Geraldo: São poucos os juízes que aceitam essas gravações sem autorização legal!
Ricardo: Você acha que é possível que consigamos!
Geraldo: A possibilidade é ínfima! Até porque o advogado de defesa pode alegar que a gravação pode ter sido adulterada!
Ricardo: As chances são muito pequenas?

Geraldo: As chances são as menores, mas eu vou fazer o que posso!

Por Rubem VS

@rubem_vs

Última semana de Reviravolta

Será que Odete conseguirá se safar dos seus crimes? E Susana, Vilma e Ricardo conseguirão reaver a herança de Maurício?

 

Não perca nesta semana os capítulos finais de Reviravolta.

 

Reviravolta – Capítulo 25

Este vídeo requer o Adobe Flash para reprodução.

Capítulo 25

Fazenda Serralândia.

Susana: Não é possível! É uma falsificação!

Geraldo: Não, não tem como! Ele foi aberto somente no dia. Eu estive presente na coleta de DNA.

Susana: Então ela não é filha do papai?

Geraldo: Não!

Susana: Quer dizer que as cartas não são reais?

Geraldo: É o mais provável!

Ricardo: Chego a ficar aliviado!

Susana: Mas se as cartas são falsas, por que o papai passou o testamento pra ela?

Geraldo: Pode ser que parte da carta seja verdade!

Ricardo: Mas que parte?

Susana: Eu vou descobrir!

Ricardo: Como?

Susana: Não sei, mas eu vou descobrir!

Ricardo: Espero que você descubra!

Susana: Já sei!
Ricardo: O que você vai fazer?

Susana: Eu vou falar com ela!

Ricardo: Com quem?

Susana: Aquela vadia!

Ricardo: A Odete?

Susana: E quem mais seria?

Ricardo: Você vai falar o que?

Susana: Não sei! Eu vou falar com ela!

Ricardo: Você não vai!

Susana: Vou e ninguém vai me impedir!
Ricardo: Isso não vai adiantar nada!

Susana: Pelo menos eu vou tentar!

Mansão Souler.

Odete: Vamos brindar!

Jorge: Um brinde a nós!
Odete: E à nossa vitória!

Jorge: Finalmente isso é nosso!

Odete: Agora nós podemos…

Susana abre a porta brutalmente.

Odete: Como você entrou aqui?

Susana: Esqueceu que eu já morei aqui?

Odete: Mas não mora mais!

Susana: Por enquanto!

Odete: É o que vamos ver!

Susana: Como você conseguiu, me conta sua vadia!
Odete: Consegui o que?
Susana: O exame! Você falsificou?

Odete: Você quer mesmo saber?

Susana: Quero!
Odete: Agora que eu não tenha mais nada a perder eu posso contar!
Susana: Então comece a contar!

Odete: Pena que aquela carta ridícula não te serviu de nada!

Susana: Aquela carta é verdade?

Odete: É claro sim!

Susana: Então por que você não filha dele?

Odete: Simples! Seu pai era um corno!
Susana: Como?

Odete: Mamãe traia o seu papaizinho!
Susana: Papai sabia disso?

Odete: Como sempre o corno é o ultimo a saber, ou no caso nem descobre!

Susana: Por que você está fazendo isso tudo então? Vingança?

Jorge: Você se acha tão esperta e não consegue descobrir!

Odete: Eu quero o dinheiro! O resto não me importa!
Susana: Tudo isso se resume a dinheiro?

Odete: Não vou negar que a vingança me tentou bastante! Eu perdi o avô, então fiquei feliz em vingá-lo!

Susana: Como? Não pode ser! Papai morreu de parada cardíaca!

Odete: EU acho que os remédios que troquei e as fortes emoções ajudaram!

Susana: Você é um monstro!
Odete: Você não viu nada!

Susana: Como pôde?

Odete: Não devo explicações! E se quiser sair com vida é melhor ir agora!

Por Rubem VS

@rubem_vs

Reviravolta – Capítulo 24

Este vídeo requer o Adobe Flash para reprodução.

Capítulo 24

No julgamento.

Olavo: Neste julgamento eu vou provar que toda a herança de Maurício Souler é de direito da minha cliente, Odete Souler.

Juiz: Mais alguma declaração?

Olavo: Não meritíssimo!

Juiz: Então passo a palavra para o doutor Geraldo.

Geraldo: Por meio deste vou provar a inverdade que se faz esse testamento que nomeia Odete como a única beneficiaria de Maurício Souler!

Juiz: Feitas as declarações iniciais! Podemos prosseguir, com a palavra Olavo.

Olavo: Gostaria de chamar para depor Odete Faria.

Odete vai depor.

Olavo: É verdade que apesar de se conhecerem a pouco tempo você e Maurício tinham um a grande proximidade?

Odete: Sim, dizia que me considerava uma filha.

Olavo: Doutor Maurício tinha problemas com a família?

Odete: Ele chegou a ter algumas discussões com a Susana e Vilma.

Olavo: Encerro por aqui!

Juiz: Doutor Geraldo, alguma pergunta para Odete Faria?

Geraldo: Odete Faria é verdade que seu pai abandou você e sua mãe!

Odete: Na verdade…

Olavo: Protesto! O passado da minha cliente não influi no caso!

Juiz: Aceito!

Geraldo: Não tenho mais perguntas a Odete Faria. Gostaria de apresentar a prova 1, as cartas de Maurício Souler nas quais ele afirma ser o pai de Odete. E afirma que estava sendo chantageada pela mesma!

Olavo: Protesto! As provas não têm caráter de legitimidade!
Juiz: Negado!

Geraldo: Para comprovar a veracidade das cartas chamo para depor Maria Santos.

Maria vai depor.

Geraldo: Conte-nos o que sabe sobre o pai de Odete.

Maria: Bem, o Osvaldo era bom rapaz, casou com a Ivana depois que o pai descobriu que ele tinha desonrado ela.Depois eles brigaram, e os boatos da época diziam que eles iam se separar, mas antes disso teve o dia fatídico!

Geraldo: Você se lembra fisionomia dele?

Maria: Faz muito tempo, mas eu lembro com se fosse ontem!

Geraldo: Então você poderia reconhecê-lo em uma foto?

Maria: Sim!
Geraldo: Então análise bem essa foto e me diga se é o Osvaldo.

Maria: Está um pouco diferente, mas é ele sim! Esses olhos são dele!

Olavo: Protesto! Uma fisionomia parecida não quer dizer que é a mesma pessoa.

Juiz: Negado! Doutor Geraldo, mais alguma pergunta?

Geraldo: Não!

Juiz: Doutor Olavo, alguma pergunta?

Olavo: Sim!

Juiz: Pode prosseguir!
Olavo: Dona Maria não é verdade que a senhora teve problemas com a minha cliente no passado?

Maria: Sim é verdade!
Olavo: Então não seria aqui uma forma de vingança contra a minha cliente! Sendo seu depoimento uma falta de consideração com a verdade!

Maria: Não eu…

Geraldo: Protesto!

Juiz: Aceito!

Olavo: Gostaria de pedir que esse depoimento seja então retirado dos atos pois não pode ser comprovado, e não é de relevância ao caso!
Juiz: Aceito!

Olavo: Sem mais perguntas meritíssimo!

Juiz: Doutor Geraldo, prossiga!
Geraldo: Para comprovar a veracidade das cartas peço o encaminhamento do exame de DNA que comprovara os laços paternos de Odete Faria e Maurício Souler.

Juiz: Pode prosseguir.

Geraldo: Para evitar adulterações e ou faltas de compromisso com o verdade, o exame foi encaminho diretamente do laboratório  para o tribunal, mantendo-se lacrado até o presente momento.

Juiz: Pode abrir e ler o Exame.

Geral: O laboratório Exos declara…. Então para os devidos classificamos como incompatíveis as amostras de DNA 1 e2 portanto não havendo nenhum grau de parentesco relevante entre Odete Faria e Maurício Souler.

Reviravolta – Capítulo 23

Este vídeo requer o Adobe Flash para reprodução.

Capítulo 23

Em frente à antiga casa de Odete.

Susana Bate na porta da casa ao lado. Um senhor abre a porta.

Susana: Bom dia senhor!

Senhor: Não quero comprar nada!
Susana: Senhor eu não quero vender nada!

Senhor: O que você quer?

Susana: Eu preciso de ajuda para…

Senhor: Eu não quero ajudar nenhuma instituição de caridade!

Fecha a porta.

Susana bate na porta de outra casa.

Susana: Bom dia!

Senhora: Bom dia! O que deseja?

Susana: Você conheceu a Odete que morou aqui do lado?

Senhora: Sim, claro! A filha da Ivana.

Susana: Você conheceu a mãe dela?

Senhora: Sim, pobre senhora!

Susana:

Senhora: A pobrezinha era uma lutadora. Ela se casou com um canalha, o marido batia nela. Ele matou o pai de Ivana, e deixou ela a míngua com uma filha nos braços!

Susana: Ela morreu de que?

Senhora: Ela morreu tem pouco tempo. Ela teve um derrame. Foi um caso muito triste ficou uns dois meses de cama sem falar, e depois morreu. Que Deus a tenha!

Susana: Você chegou a conhecer o marido dela?

Senhora: Ainda bem que não! O cara era um bandido!

Susana: Você não sabe de ninguém aqui que tenha conhecido ele?

Senhora: Isso é difícil! Ele fugiu daqui tem muito tempo!

Susana: Não tem ninguém que more aqui a mais tempo?

Senhora: Deixa eu ver… AH lembrei!
Susana: Quem?

Senhora: Tente falar com a dona Maria.

Susana: Onde ela mora?

Senhora: Ali naquela casa azul. Ela é a moradora mais antiga daqui! Se ela não souber pode desistir.

Susana: Muito obrigada!
Senhora: Por nada!

Susana bate na porta da casa azul. Uma senhora abre a porta.

Maria: O que você quer?

Susana: A senhora chegou a conhecer o pai da Odete que morava aqui do lado?

Maria: Sim ele sempre me pareceu um bom rapaz. Casou bem novo com a Ivana. Então ele brigou com o sogro depois de pouco tempo de casado.

Susana: A Senhora acha que conseguiria reconhecê-lo?

Maria: Eu acho que sim. Ele sumiu daqui há muito tempo, mas eu ainda lembro da fisionomia dele.

Susana: Então eu vou precisar da ajuda da senhora.

Maria: Por quê? A polícia achou a pista dele de novo?

Susana: Se a senhora puder vir comigo eu vou lhe explicar.

Maria: Eu não posso!

Susana: Mas é caso de estrema importância.

Maria: Vocês querem minha ajuda pra prendê-lo?

Susana: Não!

Maria: Então por que todo esse desespero?

Susana: O que a senhora tem a dizer sobre a Odete?

Maria: Ela sempre foi uma menina de gênio ruim. Tive muitos problemas com ela.

Susana: Eu sou filha do Osvaldo!
Maria: Irmã da Odete?

Susana: Sim, meu pai morreu há poucos dias.

Maria: Meu Deus! De que quê?

Susana: Ele teve uma parada cardíaca!

Maria: Então pra que você quer uma ajuda.

Susana: Vou precisar do seu depoimento para provar que meu pai, Mauricio, é Osvaldo.

Maria: Por que isso?

Susana: Vou te levar até o meu advogado pra que ele te explique melhor.

Maria: Minha querida agora eu não posso.

Susana: Então quando você pode?

Maria: Eu não quero me envolver com isso!

Susana: Não acredito que a senhora vai negar esse pedido de ajuda, preciso da sua ajuda pra fazer justiça!
Maria: Venha me buscar amanhã ás duas. Sem atrasos!

Por Rubem VS

@rubem_vs

Reviravolta – Capítulo 22

Este vídeo requer o Adobe Flash para reprodução.

Capítulo 22

No quarto de hospedes. Fazenda Serralândia.

Susana: Isso não é possível! Odete nossa irmã!

Vilma: Meu Deus! Ricardo, diga que você não dormiu com ele! Diga!

Susana: Ela é uma maníaca!

Vilma: Incesto! Meu Deus! A que ponto ela chegou!

Susana: E o papai?

Vilma: O que tem seu pai?

Susana: As fotos dele com ela no motel!

Vilma: Senhor tende piedade!

Susana: Por que o papai colocaria essa mulher lá em casa?

Ricardo: Chantagem!
Vilma: Por que?

Ricardo: O papai pegaria vários anos de cadeia se ela o denunciasse!

Susana: Assassinato!
Ricardo: Falsidade Ideológica!

Susana: Sinto que não conheço mais as pessoas! Até mesmo meu pai!

Vilma: Se for assim não temos direito a mais nada!

Ricardo: A menos que!

Vilma: O que ?

Ricardo: Nós provarmos que ele foi chantageado!

Susana: Então teríamos que mostrar toda a história do papai!

Ricardo: Vai ser o preço!

Vilma: Seu pai não pode fazer mais nada aqui, vamos pegar o que é nosso!

Na mansão Souler.

Jorge: Está tudo pronto!

Odete: E tem que estar! O julgamento é logo.

Jorge: Não se preocupe, com o Ricardo acreditando em você não vamos ter mais nenhum problema.

Odete: Esse é o problema.

Jorge: Ele confiar em você.

Odete: Estou desconfiando dessa confiança.

Jorge: Por quê?

Odete: Ele veio pra cá do nada! E então quando fui procurar aquela carta sem sentido do velho eu não encontrei!

Jorge: Tem certeza que nenhuma outra pessoa pegou!

Odete: Não sei pode ter sido qualquer pessoa. Até mesmo a Carmem!

Jorge: É melhor tomar cuidado com esse cara!

Odete: Eu sei, ele veio pra aqui do nada e saiu de repente.

Jorge: Ainda bem que não dependemos só dele!

Odete: Mas a ajuda dele seria muito útil!

Fazenda Serralândia.

Geraldo: Será bem difícil nós vencermos o julgamento!

Susana: Mas você viu as cartas! Foi o papai quem escreveu!

Geraldo: Essas cartas não têm nenhuma validade!

Ricardo: Mas isso foi o papai que escreveu, como não vale nada!

Geraldo: Mas legalmente não tem nenhum valor!

Susana: Mas por que não? Essas cartas são partes essências de historia.

Geraldo: Essas cartas podem ter sido ficcionais ou até então fruto da imaginação do doutor Maurício.

Vilma: Está falando que o meu marido era louco?

Geraldo: De forma alguma! Além do mais, essas cartas são mais antigas que a datação do novo testamento. Então não teria nenhuma influencia sobre o testamento!

Susana: Isso não é possível!

Ricardo: Isso não tem nenhum valor?

Geraldo: Depende!

Ricardo: Do que?

Geraldo: Se conseguirmos provar que o que está escrito na carta é verdade.

Susana: Como vamos fazer isso!

Geraldo: Alguma testemunha ou documento que comprove a veracidade do que está escrito.

Susana: Então se fizermos o exame de DNA vamos ter uma prova suficiente?

Geraldo: Será necessária alguma testemunha.

Susana: Vamos procurar alguma!

Ricardo: Só isso vai bastar?

Geraldo: Como eu disse, vai ser muito difícil ganhar!

Ricardo: Qual é nossa chance?

Geraldo: Mínima! Quase zero!

Susana: Quanto?

Geraldo: Nós vamos depender muito do bom senso do juiz. Comprovar essa chantagem é quase que impossível! A chance de ganhar é quase que uma em mil.

Por Rubem VS

@rubem_vs

Reviravolta – Capítulo 21

Este vídeo requer o Adobe Flash para reprodução.

Capítulo 21

Na fazenda Serralândia.

Susana: Anda Ricardo! Quero ver o que está escrito!
Ricardo: Vamos pro quarto!

Susana: Vamos de uma vez!

Ricardo: Onde está a mamãe?

Susana: MAMÃE! VENHA AQUI!
Vilma chega.

Vilma: O que foi?

Susana: O Ricardo achou!

Vilma: Achou o que?

Ricardo: O que o papai falava na carta!
Vilma: O que ela fala?

Susana: Ele ainda não leu!

Ricardo: Deixei pra ler junto com vocês!

Vilma: Então vamos! O que você está esperando?

Ricardo: Nada!

Susana: Então vamos pro quarto!

Vilma: Vamos!
No quarto de hospedes. Fazenda Serralândia.

Susana: Abra essa caixa Ricardo!

Vilma: Vamos! Nosso futuro depende disso!

Ricardo abre a caixa.

Susana: Leia na ordem em que foi escrito!

Vilma: O que está esperando?

Ricardo: Já estou lendo!

Susana: Leia em voz alta!

Ricardo: Vou ler! Prestem atenção!

Susana: Leia de uma vez!

Ricardo:Eu era casado com Ivana Faria. Estávamos casados há pouco tempo, foi um casamento as pressas. Casei-me obrigado pelo pai de Ivana, depois de desonrá-la. Nos primeiros dias de casamento nos demos até bem. Mas com o tempo as brigas se tornaram cada vez mais constantes e menos espaçadas.

Com o tempo percebi que Ivana não era flor que se cheire. Dissimulada, sínica e falsa. Ela deixou sua máscara cair e mostrou sua real face quando decidi que iria me separar dela. Ela utilizou de todos os subterfúgios para que eu ficasse preso a ela.

Quando resolvi dar o ultimato, percebi a maníaca com vivia. Ela disse: “Você pensa que pode me abandonar? Não meu caro, você não pode! Ou melhor, você pode! Pode, mas somente se quiser si desgraçar! Você tem certeza disso? Se quiser pode ir, mas não terá nem mais um segundo de paz! “

Eu disse a ela que sairia da daquela casa no mesmo dia. Depois do trabalho eu buscaria minhas coisas e não voltaria mais. Quando voltei deparei-me com uma surpresa. O pai de Ivana me esperava!

Em suas mãos havia um facão. Estava preparado, a minha espera. Dizia frívolo “De hoje você não passa desgraçado!”. Corri, tentei fugir, mas ele me alcançou. Lutamos. Era um momento crítico. Eu ou ele. Se eu estou escrevendo, vocês já sabem minha decisão.

Eu matei um homem! Mas do que o cansaço e as dores físicas, sinto-me sujo. Penso que não tive escolha, mas fiz o que fiz. Eu tirei uma vida! Meu nome, Osvaldo Faria.

Susana: O quê é isso?

Vilma: Osvaldo?

Susana: Isso foi o papai que escreveu?

Ricardo: A letra é dele!

Vilma: Continue lendo!

Ricardo: A polícia nunca parou de me perseguir. Fugi, até que perdessem minha pista. Mudei de nome, comecei vida nova. Casei, Arrumei um novo emprego, fiz minha própria empresa e tive até filhos. Tinha uma vida feliz.

Porém como nada é eterno, o passado veio me assombrar. Uma ponta deixada pra trás. Ivana, já havia morrido. Porém uma parte dela se mantinha viva. Uma parte minha também. Quando abandonei Ivana, ela esperava uma filha minha. Meu passado e meu presente se encontraram. E meu passado veio em busca de vingança.

Meu novo nome? Maurício Souler. Minha filha? Odete Faria.

Por Rubem VS

@rubem_vs

Reviravolta – Capítulo 20

Este vídeo requer o Adobe Flash para reprodução.

Capítulo 20

Casa de Jorge.

Odete: A herança do velho é nossa!

Jorge: Por que toda essa certeza?

Odete: O trouxa do Ricardo!

Jorge: O que ele fez?

Odete: Ele já voltou pra mansão!

Jorge: Ele não está mancomunado com aquelas duas?

Odete: Não, ele é muito idiota pra fazer isso!

Jorge: Então com ele do seu lado não precisamos nos preocupar com mais nada!

Odete: Eu acho que ainda devemos…

Jorge: Devemos o que?

Odete: Dar um jeito naquelas duas!

Jorge: Você tem o filho do velho do seu lado! Quer mais o quê?

Odete: Eu quero o dinheiro!

Jorge: O trouxa já está morando na mansão?

Odete: Foi hoje pra lá.

Jorge: Ele brigou com a mãe e irmã?

Odete: Não, ele disse que talvez não fique lá muito tempo por causa da mãe e da irmã.

Jorge: Está tudo no papo!

Odete: Tudo é nosso!

Jorge: O velho deixou alguma coisa contra você?

Odete: Ele morreu achando que eu era filha dele!

Jorge: Tem certeza que ele não contou nada pra ninguém!

Odete: Ele teve uma morte instantânea e então…

Jorge: Então o que?

Odete: Como eu não pensei nisso?

Jorge: O que?

Odete: A carta!

Jorge: Que carta?

Odete: O velho antes de morrer escreveu uma carta!

Jorge: Que carta?

Odete: O velho escreveu uma carta sem sentido!

Jorge: O que você fez com a carta?

Odete: Eu joguei fora!
Jorge: Onde?

Odete: Na lixeira do quarto!

Jorge: E se alguém achar aquela carta?

Odete: Ninguém vai achar aquela carta!

Jorge: Como você pode afirmar isso?

Odete: Só estou eu naquela casa!

Jorge: E o Jorge?

Odete: Aquele estrupício não vê um palmo a frente do nariz!

Jorge: Corra lá e dê um sumiço naquela carta!

Odete: O velho escreveu uma carta totalmente sem sentido!

Jorge: Não importa, vá lá e acabe com aquela carta!
Odete: Então eu vou!

Jorge: Anda! Vai depressa!

Odete: Estou indo!

Na mansão Souler.

Ricardo pega a caixa e guarda na mala. Deixa o antigo quarto de Maurício igual estava antes. Então pega o telefone e liga para Serralândia.

Susana: Oi! Conseguiu?

Ricardo: Achei! Tá tudo aqui!

Susana: Mesmo? O que tá escrito?

Ricardo: Não sei ainda não li!

Susana: O que você está esperando?

Ricardo: Vou levar pra fazenda e vamos ler juntos!

Susana: Venha depressa!

Ricardo: Estou indo pra aí o mais rápido possível!

Odete entra. Ricardo desliga o telefone.

Odete: Está indo pra onde?

Ricardo: Eu tenho que …

Odete: Tem que o que?

Ricardo: Ir agora ver minha mãe!

Odete: Por quê?

Ricardo: Ela não está bem, vou ter que ficar um tempo com ela!

Odete sobe as escadas e Ricardo vai junto. Odete vai para o quarto principal.

Ricardo: Está procurando alguma coisa?

Odete: Nada de importante! Só algumas anotações que eu perdi!

Ricardo: Como elas eram, se me disser eu te ajudo a procurar!

Odete: Não é nada de importante! Só um monte de rabiscos sem sentido! Não se preocupe!

Por Rubem VS

@rubem_vs

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 19.986 outros seguidores