Juliana Paes e elenco gravam as primeiras cenas de ‘Gabriela’

Na pele da personagem principal da novela, prevista para junho, a atriz aparece mais magra, bronzeada e afirma não temer comparações com Sonia Braga

Cabelos alongados graças ao megahair, musculatura visivelmente mais enrijecida — o que dá a impressão de alguns quilos a menos — e um bronzeado reforçado por banhos de sol diários transformam Juliana Paes em Gabriela, a personagem-título da próxima trama das 23h da Globo, prevista para junho. Escolhida no fim de 2011 para o papel de protagonista da trama escrita por Walcyr Carrasco, agora cabe à atriz levar ao público a brejeirice típica da mulher tão bem incorporada por Sonia Braga nos anos 1970. Desde que foi anunciada a sua escolha para viver a personagem, Juliana jura que fez do romance “Gabriela, cravo e canela”, escrito por Jorge Amado, a sua Bíblia. E, de tão imersa na história da moça que sai do sertão para tentar a sorte em Ilhéus, na Bahia, conta que não se preocupa com as comparações.— Isso não me dá medo. Gabriela está em mim. E a palavra que melhor a define é força. Todos a veem como uma mulher sexy, mas ela é forte — descreve a atriz, que já gravou no interior do Piauí e, desde a última quarta-feira, está em Canavieiras, na Bahia.

Mas a sexualidade estará presente — e muito — nesta nova versão. Assim garante o diretor-geral Mauro Mendonça Filho. A questão do horário, o mesmo de “O Astro”, no ano passado, ajuda. E o texto de Jorge Amado, também.

— A história pede. Quando Gabriela chega, a cidade enlouquece. Mesmo sendo a mais primitiva e a mais ignorante, ela é livre. Se está a fim de transar, vai lá e transa. Temos que parar de ver o sexo como tabu. A sexualidade faz parte das pessoas — defende Mauro.

Responsável pela atual adaptação, Walcyr enfatiza que não pretende fazer um remake da primeira versão escrita por George Walter Durst em 1975. O autor quer mostrar ao público a sua própria visão do livro lançado em 1958.

— É uma mininovela inspirada no romance. Nela, entram outros papéis que eu criei. Através de Gabriela e Nacib, vou narrar a história de uma cidade, mostrando as mudanças no comportamento e na política. Espero que não só emocione, mas que seja um avanço na consciência do povo.

Cena do telhado garantida

Apesar da livre inspiração, mais de 80% dos personagens foram mantidos. Assim como momentos inesquecíveis, entre eles, a subida de Gabriela no telhado. E o tema de abertura, “Modinha para Gabriela”, permanecerá na voz de Gal Costa. Para reproduzir mais uma vez a história de Jorge Amado na TV, a produção se instalou em Canavieiras, situada a 110 quilômetros de Ilhéus, na Bahia. Lá, o diretor conta com uma equipe de 70 pessoas, entre câmeras, figurinistas e camareiras, além de 150 figurantes.

O local foi escolhido como cenário para cenas como a do encontro entre Gabriela e Nacib, agora vivido por Humberto Martins. Entre os atores também estão Bruna Linzmeyer, Emílio Orciollo Neto, Ilya São Paulo e Mateus Solano. Para o diretor, bastará apenas aparecer no vídeo para que Juliana marque definitivamente o público como a nova Gabriela:

— A personagem é um ícone, selvagem, feminina. E Juliana é símbolo sexual e boa atriz como Sonia era. Está fazendo lindamente.

As informações são do jornal Extra.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 19.613 outros seguidores